O escritório MARCIA NUNES ADVOCACIA nasceu em fevereiro de 1985. Recém formada, uma amiga me convidou para ser a advogada da sua construtora. Pela amizade, ela autorizou que eu trabalhasse para outros clientes e me cedeu a estrutura da empresa: telefone, recepcionista, office boy, etc.

A amiga era Sílvia Maria Mansur Mader, a quem o MARCIA NUNES ADVOCACIA deve sua existência.

Um ano depois a construtora foi fechada e o MARCIA NUNES ADVOCACIA já era uma criança forte. Ficou no imóvel. Nesse ano ingressou na sociedade José Cesar Valeixo Neto. Marcia e Cesar viraram marido e mulher, Marcia virou “Marcia Valeixo” e assim o MARCIA NUNES ADVOCACIA adotou o sobrenome comum “VALEIXO ADVOCACIA”.

O “VALEIXO ADVOCACIA” era uma criança, forte, mas uma criança. Nem secretária tinha. Por conta disso aconteceu um episódio pitoresco. Eu atendia uma cliente que tinha sido lesada por uma grande imobiliária de Curitiba. Ela comprou um imóvel e nos meses seguintes o perdeu por conta de uma negligência da imobiliária na vistoria da documentação. A Imobiliária não quis acordo. Fula, a cliente foi reclamar com o Ratinho, que à época era apenas um repórter. Um dia depois da reclamação eu estava trabalhando no escritório, sozinha, tranquila, quando, quem bate à porta? O próprio. Ratinho e sua trupe. Fez a reportagem e no dia seguinte a Imobiliária pagou a Indenização.

Os primeiros anos foram duros. O trabalho ia das nove da manhã até pelo oito, nove, dez da noite, quase não havia finais de semana, não havia férias, nem recesso. Era ir dia 31 de dezembro para a praia, brindar o Ano Novo e no dia seguinte voltar para Curitiba. No dia seguinte, dois de janeiro, tinha prazo para cumprir. Eu fazia duas coisa na vida: trabalhava e economizava. Mas quatro anos depois do início do escritório, então, “VALEIXO”, veio a recompensa: adquirimos nossa sede própria. Foi muito bom, deu muito orgulho e muita fé.

E assim correram ótimos e produtivos anos. Tudo mudava todos os dias em velocidade supersônica, a sociedade, os costumes, as leis. Veio a Constituição de 1988 que sacramentou o dano moral – até ali ele não existia na Lei; brigávamos por esse direito só na base da argumentação. Vieram os Juizados Especiais, acabou o Tribunal de Alçada, fiz o IBEJ – primeiro curso de especialização em Direito em Curitiba, numa época em que não havia sequer Mestrado em Direito em Curitiba, aliás, até então só existiam três faculdades de Direito em Curitiba, dá para acreditar? Ainda não existia computador nem internet. A pesquisa era na biblioteca do Tribunal de Justiça. Veio um novo Código Civil, o Código de Processo Civil recebia reformas o tempo todo. Vieram o computador, a internet, o telefone celular.

O país também mudou, conseguiu a democracia, a estabilidade monetária, ganhou a Copa do Mundo de 2002 (depois mais nenhuma), aqui, na terrinha, o Coxa, com o Lela (não é Lula, é Lela) foi campeão do Brasil em 1985 e depois passou a gostar da zona de rebaixamento. Curitiba conheceu o engarrafamento e a violência. A demanda pelo Judiciário passou a crescer vertiginosamente.

E assim foram vividos exatos vinte e seis anos. Como a vida se faz por ciclos e renovação, os sócios se separaram e o MARCIA NUNES ADVOCACIA ressurgiu. Renovado, forte, atuante, com mil ideias novas.

O MARCIA NUNES é um escritório, sobretudo, inovador. Criamos ideias todos os dias. Amamos estudar e escrever (e falar, claro). Pesquisamos constantemente (veja o link de publicações). Gostamos dessas coisas novas como gestão, marketing, google, site, blog.

O novo nos atrai. Estamos implantamos o sistema de home office, onde alguns colaboradores trabalham em casa, com tarefas determinadas, onde contam com o silêncio e o foco naquela tarefa específica.

Trabalhamos com protocolos, isso é moderno e eficaz. Estudamos nossos prazos antes de serem publicados. Fazemos roteiro e treino de audiência. Em 2012 começamos a trabalhar com pesquisa estatística de Direito, a Jurimetria. Trabalhamos em dezenas de pesquisa. Trouxemos nomes famosos da área para palestrar na OAB/PR.

A especialidade de Direito Médico, que era incipiente, se firmou e o MARCIA NUNES ADVOCACIA passou a atuar firme nessa área.

Dois anos depois de ressurgida, o MARCIA NUNES adquiriu sua sede própria na Praça São Paulo da Cruz, 50/1103, do lado da Igreja do Cabral. Lugar lindo, com vista da Serra do Mar, ensolarado, amplo.

O escritório ficou show como mostram as fotos. Logo crescemos, vieram novos colaboradores, advogados, assistentes jurídicos, estagiários. Criamos novos negócios.

Iniciamos no setor de processos de massa, atendendo por ora duas grandes comunidades de Curitiba e interior do Paraná onde centenas de pessoas pedem indenização contra empresas públicas e privadas que poluem o ar no seu entorno.

Possuímos assistentes técnicos em engenharia civil, engenharia de produção, odontologia, psicologia, biologia, entre outros profissionais.

Sobretudo, somos éticos. Somos éticos há mais de trinta anos. Sempre seremos. Confiamos no futuro, no Direito, no direito das pessoas de serem reparadas quando lesadas e acreditamos que o processo de Indenização constitui grande instrumento para fazer um mundo melhor, onde erros são reconhecidos, reparados e superados.